12 de setembro de 2010

A Erotizante Positiva Hipnose Da Erótica Arte De Hajime Sorayama


"Os afetos que dizem sim: o orgulho, a alegria, a saúde, o amor do sexo, a inimizade e a guerra, a veneração, os belos gestos, maneiras, a vontade forte, o cultivo da alta espiritualidade, a vontade de poder, a gratidão à terra e à vida – tudo que é rico e que quer doar, e que presenteia, doura, eterniza e diviniza a vida – toda a potestade das virtudes transfiguradoras... tudo o que abençoa, que diz sim, que afirma fazendo -."


Friedrich Nietzsche




Inomináveis Saudações a todos vós, cadáveres leitores.


Sim ao transcendente do Sexo.


Sim ao imanente do Sexo.


Sim ao todo do Sexo.


Sim ao valor do Sexo.


Sim à transvaloração do Sexo.


Sim ao odor do Sexo.


Sim ao teor do Sexo.


Sim ao vital do Sexo.


Sim à poética do Sexo.


Sim à linguagem do Sexo.


Sim à mensagem do Sexo.


Sim à eternidade do Sexo.


Sim à alegria do Sexo.


Sim à energia do Sexo.


Sim à realização do Sexo.


Sim à realidade do Sexo.


Sim às faculdades do Sexo.


Sim às criações do Sexo.


Sim aos ensinamentos do Sexo.


Sim à magia do Sexo.


Sim à religião do Sexo.


Sim ao poder do Sexo.


Sim à vontade do Sexo.


Sim ao sabor do Sexo.


Sim aos pratos do Sexo.


Sim aos detalhes do Sexo.


Sim às sutilezas do Sexo.


Sim à alma do Sexo.


Sim ao espírito do Sexo.


Sim Sim Sim Ao Sexo!


Sim Sim Sim Ao Sexo!


Sim Sim Sim Ao Sexo!


Sim Sim Sim Ao Sexo!


Sim Sim Sim Ao Sexo!


Sim Sim Sim Ao Sexo!


Sim Sim Sim Ao Sexo!


Sim Sim Sim Ao Sexo!


Sim Sim Sim Ao Sexo!


A fantasia erótica mais suprema pode-se dizer que passa dentro de nossas mentes e é um Sim abordante de toda a sequência de fenômenos que ocorrem relacionados aos carnais prazeres. Há um reduto insondável de nossa interna natureza frequentemente querendo abordar a nossa consciência, mas abortamos essa tendência devido ao moralismo vigente em nossa sociedade. Mas, quem nunca desejou uma professora na escola ou na faculdade apenas olhando para ela enquanto dá-se a explicação de uma matéria? Quem, também, não sentiu o mesmo em relação a um professor? E no ônibus, olhando para o lado, sentado ou em pé, não teve a suprema vontade de envolver-se no enredo da pele de um homem ou de uma mulher? Claro está que todos nós, seres humanos, tão fracos na carne que sustenta o espírito eterno que somos, nos debruçamos sobre capas e máscaras diversas para não agirmos como simples animais. Refinamos nossas tendências primitivas e bestiais, tencionando estabelecer uma forma de fazer a serpente kundalínea ascender e, não, diretamente descer e lá embaixo permanecer. Refinamos tais agressivas sexuais características, as quais são mui naturais, não são condenatórias, porém, já imaginaram como seria se nos fosse possível realizar a todo momento e a todo lugar as nossas mais íntimas e secretas fantasias? Não devemos defender aqui um torpe moralismo, este blog e todo este trabalho se amparam em elementos subculturais e contraculturais; elementos que, quando entendidos ao modo básico de raciocínios além do senso comum que sempre aborta o entendimento do diferente da parte dos que se dizem "normais", solucionam todos os casos de prisões internas que afogam a sexualidade nossa.


E como desviar toda a nossa agressividade sexual inata sem deixar de dizer Sim à mesma? Como podemos nos tornar parte de um algo maior dentro de nós mesmos aparando as arestas da desenfreada sexualidade sem deixar de dizer Sim à mesma? Há um caminho plausível. Há um caminho viável. Há um caminho possível. Há um caminho agradável. A Arte é uma via obrigatória e, até, necessária para os que possuem um talento inato n'alma. Poesia, Literatura, Pintura, Desenho, Arte Digital, Ilustração... No caso especificamente do artista que este artigo analisa, Hajime Sorayama, a Ilustração foi o meio, muito bem escolhido, para a exibição de um poderosíssimo instinto sexual realizador de imagens que nos hipnotizam. É uma hipnose cáustica na medida em que nos damos conta da necessidade de nos deliciarmos com a sedutora explosão de cada imagem. É uma hipnose detonante de nossa própria libido, esta fera interior que, quando controlada e amenizada, pode nos tornar Deuses de nós mesmos. É uma hipnose naturalizante da própria Arte Sexual, na qual uma mulher pode aprender a reconhecer-se e um homem pode tomar conta de um sentido novo para as suas atitudes sensuais em relação à sua companheira. É uma hipnose homo e heterossexual, a todos as ilustrações de Sorayama se direcionam, não ha específico público e nem fixo atender a um determinado grupo sexualmente conhecido e reconhecível no mundo. É uma hipnose posicionante de nossos desejos sem uma linguagem abstrata ou concreta, sem uma limitação de abordagens diretas e idiretas, apenas residindo em suas fundamentações uma tectônica energia arrasadora e abrasadora dos ditames de nossas carnes.


A hipnose diz SIM à nossa sensualidade!


A hipnose diz SIM à nossa sexualidade!


A hipnose diz SIM ao nosso poderio sexual!


A hipnose diz SIM aos nossos desejos sexuais!


A hipnose diz SIM aos nossos anseios sexuais!


A hipnose diz SIM aos nossos labirintos sexuais!


A hipnose diz SIM às nossas lagoas sexuais!


A hipnose diz SIM aos nossos mares sexuais!


A hipnose diz SIM aos nossos oceanos sexuais!


A hipnose diz SIM aos nossos universos sexuais!


A hipnose diz SIM aos nossos métodos sexuais!


A hipnose diz SIM às nossas escolhas sexuais!


A hipnose, exageradamente, é um fim aberto ao nosso início quando nos aprofundamos na Arte de Sorayama. Ele não quer contar histórias. Ele não quer narrar contos. Ele não quer escrever novelas. Ele não quer roteirizar uma sequência de suas obras para um filme. Ele não quer desenvolver uma ciência. Ele não quer desenvolver uma filosofia. Sorayama, o artista, é da mesma escola realista de Courbet: escancara a imagem e aborta todo tipo narrativo de direta ou indireta interpretação. É um meio artisticamente concreto de condensação e densidade de uma particularidade definidora de um mundo no qual transitem apenas os que querem positivamente entregar-se ao contemplar de imagens que, silenciosamente, contraem matrimônio com o mecanismo de nosso estético olhar. O Sim afigura-se presente na mulher de pernas abertas. O Sim afigura-se presente na mulher a mijar. O Sim afigura-se presente na mulher de quatro. O Sim afigura-se presente no olhar das mulheres ilustradas. O Sim afigura-se presente nas roupas e na falta de roupas das mulheres ilustradas. O Sim, este antídoto contra a mesmice moralista, acomoda-se entre nossos momentos de visulização da obra de Sorayama e o êxtase causado pela mesma no decorrer dessa viagem contemplativa na qual as palavras desaparecem qual a fumaça de algo que nunca pegou fogo. O Sim é um fogo brando e selvagem. O Sim é um fogo amplo e rebelde. O Sim é um fogo sábio e irracional. O Sim, este eterno intenso companheiro de viagens dos afirmadores intensos de suas próprias existências, anuncia inícios que socorrem almas e felicitam instintos que a convivência social regrada pelas superstições e proibições religiosas tolas negativamente abrandam. O Sim, este enredo sempre positivista das tendências nativas de nossa alma animal, explora a incessante tomada de consciência nossa e expande a orientação desta na concepção de uma liberdade reigiosamente concentrada na exaltação de todo desejo que viceja imperioso em todos os poros. O Sim, este incendiador de nosso domínio, quando o temos, o domínio sobre nossa carne tão fraca, manifesta em nós a típica posição de aríetes de um jogo sempre novo de cartas que lançadas são para a total satisfação nossa em relação ao poderio de cada sensação rugindo em nossas moradas internas. O Sim, a inspiração do ponto máximo de nossa união com a Verdadeira Liberdade, mesmo que esta seja interna, impulsiona nossa dedicação à construção de um novo rumo para as essências voláteis da sexual necessidade serpenteando em funções específicas até mesmo dentro de nossa alma. O Sim, o objeto maior de toda escolha, seja para a devassidão, para a santificação ou para a neutralidade, eternamente seja o ceifeiro ideal para a colheita toda sagrada da grande riqueza denominada REVOLUÇÃO dentro de nossas almas!


Se te fazes bem, digas SIM a tudo!


Se queres desejar mais, digas SIM a tudo!


Se queres alcançar mais, digas SIM a tudo!


Se queres construir mais, digas SIM a tudo!


Se queres ter mais, digas SIM a tudo!


Se queres ser mais, digas SIM a tudo!


Se querer evoluir mais, digas SIM a tudo!


Um Sim a tudo que é prazeroso e que não seja um crime. Um Sim a tudo que escape da mesmice e hipocrisia do contemporâneo mundo de hoje. Um Sim que se destaque entre todas as decisões produtivas e positivas de tua alma liberta das mesquinharias morais. Um Sim, homem, digno da tua posição no mundo como homem. Um Sim, mulher, digno da tua posição no mundo como mulher. Um Sim que não se escandalize com as imagens a Sorayama inspiradas pela mesma Verdadeira Liberdade da qual acima falei. Um Sim ativo, vigoroso, tanto quanto a presença erotizante de uma imagem de Sorayama. Um Sim possante, inventivo, sólido, tanto quanto o incêndio erotizante de uma imagem de Sorayama. Um Sim determinado, digno, heróico, tanto quanto a sutileza erotizante de uma imagem de Sorayama. Um Sim que responda aos lábios das mulheres de Sorayama. Um Sim que fite os olhos das mulheres de Sorayama. Um Sim que beije o rosto das mulheres de Sorayama. Um Sim que respire no pescoço das mulheres de Sorayama. Um Sim que exerça adoração ao colo das mulheres de Sorayama. Um Sim que chupe os seios das mulheres de Sorayama. Um Sim que santifique os braços das mulheres de Sorayama. Um Sim que transpire supremo e absoluto como a Respiração do Dragão Uno nas mãos das mulheres de Sorayama. Um Sim que enriqueça a cintura das mulheres de Sorayama. Um Sim que envolva o abdômen das mulheres de Sorayama. Um Sim que toque nos quadris das mulheres de Sorayama. Um Sim que explore os pêlos da vulva das mulheres de Sorayama. Um Sim que permita o lamber da vulva das mulheres de Sorayama. Um Sim que permite a introdução da língua, dos dedos e do pênis na vagina das mulheres de Sorayama. Um Sim que permite a fricção de outra vagina na vagina das mulheres de Sorayama. Um Sim que endeuse as nádegas das mulheres de Sorayama. Um Sim que permite a introdução da língua, dos dedos, do pênis e de um consolador no ânus das mulheres de Sorayama. Um Sim que torne imperial as pernas das mulheres de Sorayama. Um Sim que transborde límpido como água advinda da própria Divindade Una aos pés das mulheres de Sorayama.


Um Verdadeiro Sim!


Um Alto Supremo E Absoluto Verdadeiro Sim!


Um Divino Verdadeiro Sim!


SIM!!!


SIM!!!


SIM!!!


SIM!!!


SIM!!!


SIM!!!


SIM!!!


SIM!!!


SIM!!!


Sim eu digo para a apresentação de pequenas galerias de imagens de Sorayama aqui no blog do Projeto C.O.V.A., cujas perspectivas também se direcionam para a Subcultura Erótica, tão discriminada e incompreendida quanto qualquer outra Subcultura. Para a Arte de Sorayama o Projeto C.O.V.A. - Blog diz SIM SIM SIM SIM SIM SIM SIM SIM SIM!!! Que todos vós, cadáveres leitores, digam um SIM assim bem alto em vossas almas e tenham muito prazer na admiração, SEM MODERAÇÃO, das imagens deste espetacular ilustrador japonês.


Saudações Inomináveis a todos vós, cadáveres leitores.


Share:

2 Ossos Lançados:

Lou Albergaria disse...

Muito bom esse post. Penso ser de fundamental importância direcionar a energia vital do sexo para a construção de uma vida saudável e feliz.

Ilustrações belíssimas também!

Um grande prazer receber um ser tão INOMINÁVEL em meus espaços. Obrigada pelas visitas!

Levando seu banner.

Depois pegue a LOBA. Um presente para ti. Pode escolher entre o Selo ou o banner ou ambos.

Tenha um cadavérico domingo de muito êxtase!!!

BEIJÃO!

Inominável Ser disse...

Agradeço-te a visita, Lou Albergaria, em breve pegarei o seu banner e o selo.

E agradeço igualmente por seguir este blog.

Tecnologia do Blogger.

Sobre Esta Cova







Inomináveis Saudações a todos!



Este é o blog do Projeto Companhia De Organizadores De Viagens Abissais (C.O.V.A.), o qual é totalmente voltado para a Arte Sombria, em suas manifestações através da Poesia, Literatura, Pintura, Desenho, Ilustração, Arte Digital, Música, Escultura, Arquitetura, Cinema e novas expressões artísticas e intelectivas que a todo o momento brotam das mentes dos que abordam tal temática. Com o intuito de reunir o máximo possível de artistas e interessados na mesma, então, aqui fundo este blog para divulgar o trabalho realizado nas páginas de mesmo nome existente no Forumeiros, além da elaboração de postagens com assuntos que não está no mesmo disponível.



Bem-vindos, Coveiros e visitantes!



Bem-vindos, cadáveres leitores!



Saudações Inomináveis a todos!



Inominável Ser

O COVEIRO

ADMINISTRADOR



Os Escribas Coveiros

Enterram-Se Nesta Cova:

Blog Archive

Labels

Covas Recomendáveis

Parcerias

Meu Perfil No Facebook

Lápides Eternamente Inderrubáveis

Recent Posts

Unordered List

Inomináveis Saudações! Escolham um de nossos banners e tornem-se Parceiros do Projeto C.O.V.A., enviando-nos o banner e o link de vosso trabalho para este endereço de e-mail: projetocova@gmail.com Design por Laracna D'Angels

Theme Support